OK 
     
ApresentaçãoEstudosBibliografiaEstatísticas e Bases de DadosIndicadoresPublicaçõesNotícias e EntrevistasNewslettersLigações
Home >  Indicadores >  Condições de Vida  > 
Indicadores


Nível de felicidade varia entre os países da OCDE
Cidadãos dos países do norte da Europa são os que apresentam os mais altos níveis de satisfação com a vida. O valor deste indicador para Portugal é relativamente baixo, e diminuiu entre 2000 e 2006. Satisfação com a vida tende a variar de acordo com o nível de distribuição da riqueza.  


Os dinamarqueses assumem-se como os indivíduos mais satisfeitos com a sua vida, no quadro dos países da OCDE. Numa escala de 0-10, apresentam uma satisfação de 8,0 pontos. Seguem-se-lhes os Finlandeses, Holandeses, Noruegueses e Suíços. Portugal é o quinto país com pior resultado (5,4 pontos), à frente da Hungria, Eslováquia, Itália e Turquia.

 

Em 22 dos 28 países da OCDE contabilizados no Gráfico 2, registou-se um aumento do nível de satisfação coma vida entre 2000 e 2006, tendência que encontra a sua expressão mais ampla na Turquia - aumento de 1,51 pontos. No Japão, Canadá, Estados Unidos, Hungria e Portugal verificou-se uma evolução negativa do valor da medida em causa. Com um decréscimo de 0,34 pontos, Portugal afigura-se como o país que apresenta uma maior retracção deste indicador de felicidade.

O Gráfico 3 apresenta a relação existente entre o nível de satisfação com a vida e o coeficiente de Gini, um indicador que mede a desigualdade na distribuição do rendimento. Percebe-se que o nível de felicidade tende a aumentar nos países que apresentam valores baixos para o coeficiente de Gini. Neste sentido, a igualdade relativa na distribuição do rendimento é uma variável que potencia a elevação dos níveis de felicidade.

A Dinamarca é ao mesmo tempo o país onde o coeficiente de Gini é mais baixo e no qual o nível de satisfação com a vida é maior; seis dos países em causa encontram-se simultaneamente entre os 10 que apresentam um coeficiente de Gini menor e uma satisfação face à vida mais elevada (Dinamarca, Suécia, Finlândia, Bélgica, Holanda e Suíça). O resultado para Portugal é também um bom exemplo do sentido desta relação: terceiro país da OCDE com o coeficiente de Gini mais elevado e o que apresenta o quinto valor mais baixo para o nível de satisfação com a vida.

 

Nota Metodológica: O Coeficiente de Gini é um "indicador de desigualdade na distribuição do rendimento que visa sintetizar num único valor a assimetria dessa distribuição, assumindo valores entre 0 (quando todos os indivíduos têm igual rendimento) e 100 (quando todo o rendimento se concentra num único indivíduo)" (INE). O indicador pode também variar entre 0 e 1, como na distribuição aqui em causa.
Na regressão linear simples apresentada no gráfico 3, R=0,450 e R² = 0,203. Isto significa, respectivamente, que a relação entre as duas variáveis em causa assume uma intensidade média e que o coeficiente de Gini explica 20,3% da variação do nível de satisfação com a vida.

Link para relatório

  Glossário de Indicadores