OK 
     
ApresentaçãoEstudosBibliografiaEstatísticas e Bases de DadosIndicadoresPublicaçõesNotícias e EntrevistasNewslettersLigações
Home >  Indicadores >  Rendimento e Pobreza  > 
Indicadores


Transferências monetárias do Estado para as famílias por quintil de rendimento
Transferências monetárias do Estado para os agregados domésticos são mais elevadas nos países do norte da Europa.


O Quadro 1 apresenta informação relativa ao peso que as transferências de rendimentos monetários do Estado para os agregados domésticos assumem nos países da UE-27, Islândia e Noruega no ano de 2007, tendo em linha de conta o quintil de rendimento de pertença desses mesmos agregados (quando se analisa a informação empírica a partir de quintis os dados são divididos em subconjuntos de 20%).

Um primeiro olhar sobre o Quadro 1 permite concluir que a grandeza relativa do valor das transferências monetárias do Estado para os agregados domésticos é maior nos quintis mais pobres. Mas essa grandeza é bastante diferenciada no universo de países em análise. Em Portugal as transferências monetárias do Estado para os agregados domésticos que se situavam no quintil da base (20% mais pobres) da distribuição representavam 20% do rendimento bruto destes agregados. Este valor é inferior ao registado em termos médios nos países da UE-27 (24%) e muito afastado do observado nos países do norte da Europa e na Irlanda. O valor deste indicador em Portugal para os demais quintis é semelhante à média da UE. É também interessante referir que nos países do norte da Europa e na Irlanda as transferências monetárias do Estado têm um peso relativo elevado não só no rendimento bruto dos agregados domésticos do quintil da base da distribuição, mas também nos demais subconjuntos da população (nomeadamente no 2º e 3º quintis).


  Glossário de Indicadores