OK 
     
ApresentaçãoEstudosBibliografiaEstatísticas e Bases de DadosIndicadoresPublicaçõesNotícias e EntrevistasNewslettersLigações
Home >  Notícias e Entrevistas > 
Notícias e Entrevistas


publicado em:  2 Outubro 2012
Desigualdades e pobreza em Portugal estão a ser mal combatidas

O índice de clima social em Portugal, no ano de 2012, é o quarto mais baixo no conjunto de países da União Europeia (UE).


Quase  80% dos portugueses consideram que as estratégias usadas, em Portugal, para lidar com as desigualdades sociais e a pobreza são más ou muito más. Este é um dos valores mais elevados no conjunto de países da UE-27 (64%), mas ainda assim bastante abaixo do verificado na Grécia, país no qual 93% dos inquiridos analisam negativamente estas estratégias. A má avaliação promovida pelos portugueses refere-se também à comparação entre o momento presente e o passado: 67% consideram que estas estratégias pioraram nos últimos cinco  anos (apenas a Grécia regista um valor superior).

Este tipo de avaliação formulada pela população portuguesa estende-se a outras áreas da vida em sociedade: 64% consideram que a provisão dos cuidados de saúde no país é má ou muito má; 89% e 85% têm essa opinião em relação às pensões e ao subsídio de desemprego, respectivamente; e 96% consideram que o custo de vida no país é mau ou muito mau (novamente, apenas na Grécia o valor é mais elevado: 97%).

A avaliação negativa de dimensões mais concretas da vida em sociedade é acompanhada por uma insatisfação comparativamente elevada em relação à vida em geral: Mais de metade da população portuguesa inquirida referiu sentir estar “não muito satisfeita” (39%) ou “de todo satisfeita” (15%). Estes valores para o conjunto de países da UE foram de, respectivamente, 18% e 5%. Mas nos países nórdicos e do centro da Europa estas representações negativas acerca da satisfação com a vida em geral são muito mais baixas – em alguns casos,  quase irrelevantes do ponto de vista estatístico.

A dimensão social em que Portugal surge mais bem posicionado é a que diz respeito à relação entre pessoas com uma cultura, religião ou nacionalidade diferentes, na qual regista resultados relativamente próximos da média europeia.

Estes dados são referentes a 2012 e resultam do Eurobarómetro sobre clima social, o qual se baseou em  cerca de 26,6 mil inquéritos a cidadãos dos países da UE-27. São analisadas três áreas fundamentais: a situação pessoal, a situação do país e a protecção social e a inclusão. Além de dados percentuais acerca das questão mencionadas, este estudo apresenta também índices de clima social.

Em termos genéricos,  o índice de clima social em Portugal, no ano de 2012, é o quarto mais baixo no conjunto de países da UE. Numa escala em que 10 significa estar “muito satisfeito”, 3,33 “safisfeito”, -3,33 “insatisfeito” e -10 “muito insatisfeito”, o resultado de Portugal é de -3,2 (-2,7 em 2011). Apenas a Grécia (-5,8), a Roménia (-3,8) e a Hungria (-3,8) apresentam valores mais baixos.  A Holanda, a Dinamarca e o Luxemburgo são os países em que este indicador é mais elevado, seguidos pela Suécia, Áustria, Alemanha, Finlândia e Bélgica. Neste conjunto de países do norte e centro da Europa a pontuação varia entre 2,8 (Luxemburgo e Holanda) e 1,5 (Finlândia e Bélgica). E, ao contrário do verificado em Portugal, noutros países do sul da Europa e em alguns países do leste europeu, o índice de clima social neste conjunto de países não tem, em geral, sofrido uma diminuição significativa em comparação com o verificado em anos anteriores. Aliás, na Alemanha, na Suécia, na Dinamarca ou na Bélgica este índice melhorou em relação a 2009.

O resultado negativo de Portugal em relação ao índice de clima social generalista aplica-se também aos índices apurados em áreas mais específicas, tais como: a situação laboral actual (quinto resultado mais baixo), a situação financeira do agregado doméstico (quarto resultado mais baixo), o custo de vida (sétimo resultado mais baixo), a acessibilidade do preço da energia (quinto resultado mais baixo), a gestão da administração pública (quarto resultado mais baixo), a situação económica do país (sétimo resultado mais baixo) ou a situação do emprego (quinto resultado mais baixo).

De referir que, entre a população inquirida, os indivíduos que  registam um índice de clima social mais negativo são os que referem ter dificuldade em pagar as contas do agregado doméstico (-3,8) e os desempregados (-3,1).            

  Entrevistas

Conteúdos Relacionados

Riqueza dos países em desenvolvimento irá aumentar no futuro
Portugal entre os países onde as pessoas estão menos satisfeitas com a vida
O aumento das desigualdades sociais nos países desenvolvidos acentua diferenças de qualidade de vida entre as gerações
Idosos sós em Portugal estão fortemente expostos à pobreza
925 milhões de pessoas passam fome no mundo