OK 
     
ApresentaçãoEstudosBibliografiaEstatísticas e Bases de DadosIndicadoresPublicaçõesNotícias e EntrevistasNewslettersLigações
Home >  Notícias e Entrevistas > 
Notícias e Entrevistas


publicado em:  18 Outubro 2012
O fatídico Setembro de 2008 e o início da escalada do desemprego

Desemprego registado aumentou quase ¾ entre Setembro de 2008 e o período homólogo de 2012.

Setembro de 2008 ficará para a história como o mês em que o banco norte-americano Lehman Brothers declarou estar numa situação de bancarrota. Estavam nesse mês registados nos Centros de Emprego em Portugal 395 243 desempregados, -0,7% face ao período homólogo de 2007. A diminuição homóloga do desemprego nos primeiros nove meses desse ano é uma constante e até Agosto assiste-se a uma diminuição do número de desempregados registados.  A partir desse momento há uma inversão desta tendência e  o desemprego começa a aumentar. Levemente nos últimos meses de 2008. De forma bastante acentuada em 2009.

O Gráfico 1 demonstra a evolução do desemprego registado, no mês de Setembro, entre 2007 e 2012. Após uma ligeira diminuição entre Setembro de 2007 e Setembro de 2008, este indicador aumenta 29,1% em 2009. Num ano passaram a existir mais 115 mil desempregados registados nos Centros de Emprego, 510 356 ao todo. Em Setembro de 2010 este número conheceu um aumento de mais de 45 mil indivíduos face ao período homólogo de 2009, o que corresponde a um aumento de 8,9% (total de 555 820 desempregados).  Entre Setembro de 2010 e o período correspondente de 2011 assistiu-se a uma pequena contracção deste indicador (-0,3%). Mas quando se compara o desemprego registado entre Setembro de 2011 e o mesmo mês de 2012, verifica-se que este indicador conheceu um novo aumento galopante: quase mais 130 mil desempregados, o que equivale a uma taxa de variação homóloga face a 2011 de 23,4%.



Comparando Setembro de 2008 e de 2012, conclui-se que desde a falência do Lehman Brothers, momento que marcou o início/aceleração da crise económica e financeira, estão registados nos Centros de Emprego mais 288 314 desempregados, ou seja, um aumento de 73%. Este aumento foi mais pronunciado entre os activos com qualificações escolares de nível superior ou intermédio. No primeiro caso, o número de desempregados registados aumentou 116,9% (de 43 067 para 93 430); no segundo, a subida foi ainda mais acentuada:  124,9% (de 68 146 para 153 269). O aumento dos desempregados  que concluíram no máximo o 3º ciclo do ensino básico foi também bastante expressivo, quase que duplicando: de 75 040 para 14 3909, ou seja, uma taxa de variação de 91,8%.

Os Açores, o Algarve e a Madeira são as três regiões NUTS II que apresentam um maior aumento relativo do número de desempregados registados, entre Setembro de 2008 e o período homólogo de 2012:  215,5%, 193,8% e 179,5%, respectivamente. Em termos absolutos, de sublinhar o aumento de desempregados que se verificou na região Norte (111 571) e em Lisboa e Vale do Tejo (88 178).


  Entrevistas

Conteúdos Relacionados

UE-27 tinha quase 24 milhões de desempregados no final de 2011
Taxa de desemprego atingiu os 10,1% no último trimestre de 2009
Quase 165 mil desempregados não têm acesso ao subsídio de desemprego
OIT publica relatório "Global Employment Trends 2009"
Doenças reumáticas limitam qualidade de vida e o trajecto no mercado de trabalho: entrevista a Luís Cunha Miranda